Pom Pom
pompom

O que causa cólica no bebê?

A cólica em bebês é uma das maiores preocupações que acometem as mamães e papais. Mesmo que seja um processo natural que todo corpo sofre, ver o bebê desconfortável é incômodo. 

A causa pode ser diversa, desde acúmulo de gases – uma vez que os bebês ainda não sabem como expeli-los -, ingestão de alimentos novos e até mesmo a intolerância à lactose. A cólica no bebê pode ser evitada e aliviada com conhecimento básico sobre esse processo e também em um acompanhamento com profissional qualificado.

E para ajudar você a conhecer melhor o tema, separamos alguns tópicos essenciais que irão te preparar para esse evento comum a todos os bebês. Que tal conferir? 

Mas antes de iniciarmos, você sabe o que é cólica? Confira a seguir e tenha uma boa leitura! 

O que é cólica?

Para começarmos a nossa conversa, precisamos saber, primeiramente, o que é cólica em bebês. 

Biologicamente falando, a cólica em bebês é uma resposta do sistema digestivo que ainda está se formando. Por se tratar desse organismo ainda não formado, as informações sobre o mundo exterior são dadas como uma novidade com base no estranhamento.

Esse primeiro contato acaba por causar desconforto tal qual uma luz do sol, onde os olhinhos se irritam e o bebê se incomoda, e por isso ele é completamente natural e comum.

A cólica em bebês é uma resposta do sistema digestivo que ainda está em formação. Ainda que a criança se alimente exclusivamente de leite materno, ela pode não estar livre de sentir esse incômodo.

Por isso, é muito raro os bebês que não sentem esse tipo de dor, e quando aparece, geralmente, o bebê se manifesta por meio do choro que é, até então, sua forma mais latente de comunicação. Esse choro torna-se, então, uma forma de identificar se é a tal cólica. 

Um bom exemplo de uma boa forma de analisar se é cólica ou não: Se a criança já está alimentada e trocada e, mesmo assim, aparenta estar bastante incomodada, pode ser sinal de cólica. Outros sinais bem comuns são quando o bebê encolhe as perninhas ou fica com o rostinho vermelho.

Quais são as principais causas de cólica em bebês?

As principais causas de cólica em bebês são diversas, mas todas estão relacionadas com o funcionamento do aparelho digestivo em formação e essas informações novas que ainda precisam ser “digeridas” com maior propriedade. 

Entre as causas estão: 

  • acúmulo de gases;
  • hormônios intestinais, como a motilina;
  • intolerância à lactose;
  • alergia a leite de vaca;
  • ingestão de alimentos novos;
  • exposição a ambientes agitados que gerem medo e insegurança;
  • alimentação da mãe que ainda amamenta.

Sabendo as principais causas, você já poderá se preparar e/ou prevenir toda a situação.

Ingestão de ar

Como já comentamos acima, a causa da cólica em bebês se dá pela imaturidade do sistema digestivo, e uma boa parte dessa cólica advém dos gases, podendo, também ser conhecido como acúmulo/ingestão de ar. 

Principalmente nos recém-nascidos, o acúmulo de ar está atrelado a amamentação. Durante a amamentação o bebê pode engolir muito ar e, assim, ter riscos de cólicas.

Intolerância à lactose

Muitas mamães devem se perguntar se o leite materno dá cólica no bebê. Mas para respondermos isso, primeiro precisamos entender: O leite materno tem lactose?

A resposta é sim! 

O leite materno contém lactose. Mas é uma quantidade que é digerida com facilidade pelo bebê e não chega a provocar sintomas de intolerância. 

A intolerância à lactose, em casos de bebês, está na absorção de leite fabricado, pois sua fórmula é produzida de maneira artificial, podendo ser pouco favorável ao bebê.

Uma das opções, depois de observar que o bebê tem cólica após a ingestão desse leite, é procurar por produtos próprios para essa condição. Já é possível encontrar leite para bebês sem lactose. 

Alergia ao leite de vaca

É bem raro o caso de bebês com cólica ocasionada por alergia à proteína do leite de vaca (APLV). Estes casos podem ocorrer quando o bebe é alimentado com mamadeira ou mesmo quando se encontra em aleitamento natural exclusivo. 

Esses bebês melhoram quando a lactante deixa de consumir alimentos com proteínas do leite de vaca (leite, derivados do leite, alimentos preparados com leite). Ou seja, a alimentação da mãe está diretamente ligada com essa situação.

Alimentação da mãe

E respondendo a pergunta do primeiro tópico, se o leite materno pode ocasionar a cólica em bebê, a alimentação da mãe pode sim interferir por causa da amamentação. 

Assim como no processo de alimentação do cordão umbilical, no qual o bebê se alimenta do que a mamãe se alimenta, o leite também possui essa influência. 

Agitação

A agitação e o nervosismo andam lado a lado, logo, se o bebê está agitado então está nervoso. E isso pode ocasionar a cólica. 

Como falamos acima, a peculiaridade da cólica em bebês está, diretamente, ligada ao seu sistema digestivo ainda imaturo. 

Você já teve uma crise nervosa que sentiu que iria desmaiar, vomitar, ter suor frio ou até mesmo dor de barriga? Pois é, no bebê se manifesta por meio da cólica.

Não podemos esquecer que os bebês são sensíveis ao meio que os cerca e o ambiente em que vivem pode afetar o humor dele. Absolutamente tudo e qualquer coisa, como: cansaço, excesso de estímulos, solidão, desconforto e até mesmo a vontade de um colinho.

Como aliviar cólica em bebês

A cólica surgiu. E o que fazer para aliviá-la e ajudar o bebê a passar por esse processo da melhor maneira possível? É bem simples, os passos são, majoritariamente, manuais e fáceis de fazer. 

Quando o bebé está apresentando incômodo decorrente a essa dor, você pode:

  • fazer movimentos circulares na barriga do bebê;
  • manter a região do abdômen aquecida com a ajuda de toalhas quentes ou bolsas térmicas, mas atenção: tome cuidado com a temperatura para evitar queime a pele da criança;
  • dar um bom banho morno no bebê;
  • colocá-lo com a barriga encostada diretamente na pele da mãe, pai, ou da pessoa que está prestando cuidado, isso ajuda o bebê a sentir acolhimento;
  • movimentar as pernas do bebê como se ele estivesse “andando de bicicleta”;
  • posicioná-lo de barriga para cima e empurrar, ligeiramente, as perninhas em direção ao abdômen;
  • evitar dar de mamar enquanto a dor persistir;
  • deitá-lo de bruços.

Caso as cólicas se tornem muito recorrentes, é importante consultar o pediatra para que possa ser indicado algum medicamento que alivie as dores e também diagnosticar causas maiores. 

Como evitar cólica em bebês

Outro passo muito importante e praticamente essencial são as formas de evitar a cólica em bebês. O que já corta a possibilidade de ter que ver seu pequeno se contorcendo de dor e desconforto.

Para isso, é necessário saber o que fazer para evitar, separamos aqui algumas situações que precisam ser evitadas para, assim, diminuir as chances de a cólica surgir.

Entre as maneiras mais indicadas de evitar cólica em bebês estão: 

  • mantenha a alimentação com leite materno de forma exclusiva até os seis meses de vida;
  • se for necessário introduzir outros alimentos, faça esse processo aos poucos e sempre com o auxílio de um profissional qualificado; 
  • atente-se à maneira como o bebê pega o peito para que ele não engula ar;
  • acompanhe o funcionamento do intestino do bebê, importante observar fezes, tipo de alimentos que irritam e exames em dia;
  • faça massagens na barriga da criança sempre que possível, por exemplo, após o banho para deixá-lo relaxado.

Evitem, a todo e qualquer modo, produtos muito condimentados, chocolate, laticínios, cafeína e frutas cítricas. Esses alimentos são alguns exemplos que podem ajudar a causar cólica em bebês. Uma alimentação saudável ajuda bastante e é essencial tanto para o bebê quanto para a mamãe. 

Amamentação materna exclusiva (Primeiros 6 meses)

A amamentação materna exclusiva traz consigo uma gama enorme de benefícios tanto para o bebê quanto para a mamãe. Por meio do leite materno, a mãe passa ao seu bebê vários anticorpos que são extremamente essenciais para a saúde dele. 

E para as mamães, amamentar até os seis meses diminui o risco de câncer de mama e ajuda no pós-parto, já que o útero se contrai e volta ao tamanho normal mais rapidamente. 

Mude sua alimentação

Você é lactante. E agora já sabe que sua alimentação interfere na forma como o bebê irá responder, então que tal mudar sua alimentação? É uma maneira de garantir que seu bebê não sofra tanto com as cólicas. 

É importante ter atenção para tentar identificar quais são os alimentos que estão causando desconforto ao seu bebê. Mas já conhecemos alguns alimentos que possui esse efeito colateral no bebê, separamos aqui para você: 

  • Brócolis;
  • Couves, couve-flor, couve-de-bruxelas e alguns outros tipos de hortícolas da família das crucíferas;
  • Pimentas;
  • Pepino;
  • Feijão;
  • Grão no geral; 
  • Chocolate? Nem pensar! Eles dão cólica no bebê.

Curiosidade bônus: vocês sabiam que alho e amendoim podem causar cólicas no bebê? 

Pois é, o alho é um alimento de sabor intenso podendo, além de causar cólicas, fazer o bebê rejeitar o leite do peito. O amendoim está naquele tópico de alimentos que causa alergia, por isso é bom evitá-lo no período de aleitamento materno. 

Atente-se aos sinais após a mamada. Se você perceber barriga inchada, choro, irritação ou dificuldade para dormir, verifique como você se alimentou para investigar o possível alimento que causou esse desconforto no seu bebê.

Assim você poderá reduzir a qualidade e fracionar entre as refeições esses alimentos para que não haja problema para o seu pequeno. 

Mas esse não é o máximo que você pode fazer por ele. Se a cólica continuar, leve seu filho ao médico para exames mais detalhados e uma boa conversa com um profissional qualificado é uma excelente maneira de se manter bem informado. Não tenha medo de perguntar, é pela saúde do seu bebê. 

Faça massagens na barriga do bebê

Se você soubesse o alívio que o bebê sente ao receber massagens não deixaria de fazê-las nunca! E no período da cólica então, uma massagem na barriga do bebê é essencial para ajudar a aliviar o desconforto. 

Além dos movimentos circulares com as mãos sobre a barriga do bebê, você pode usar óleos próprios para os bebês.

Transforme o ambiente: além da massagem, coloque uma música relaxante de fundo ou cante suavemente para o seu bebê, deixe o ambiente um pouco escuro e calmo. O ambiente que o bebê vive pode ser desfavorável na maior parte das vezes, mas também pode ser favorável dependendo de como você o transforma. Faça o seu melhor! 

Exercite as pernas do bebê

Agora a dica é sobre movimentar o seu pequeno.

Com o bebê deitado de costas, flexione suas perninhas sobre o abdome e mexa-as de cima para baixo por alguns minutos. 

Estes exercícios ajudam o bebê a liberar gases proporcionando, assim, um pouco de alívio com o desconforto intestinal.

Corrija erros na pega

E o que seria a pega? É a forma como o bebê pega o bico do peito para mamar. 

Durante esse processo pode ocorrer o risco de cólica futura por causa do ar que entra, se o bebê pega ruim e engole muito ar durante as mamadas, há uma maior tendência ao intestino ficar cheio de ar.

Por isso, durante as mamadas, fique atenta à pega e corrija qualquer erro. Por exemplo, a barriga do bebê deve estar encostada na barriga da mãe, a boca do bebê precisa não somente cobrir o mamilo, mas também quase toda a aréola.

Realize compressas mornas

O calor ajuda a aliviar as cólicas do bebê, podendo ser oferecido na forma de um pano, uma bolsa de água quente, uma bolsa térmica de gel ou mesmo o calor humano pelo contato pele a pele com a barriga ou o antebraço da mamãe ou do papai.

Muita atenção e muito cuidado com a bolsa de água e a folha. É muito importante que elas, ao estarem quentes, não tenham contato direto com a pele do bebê pois podem causar queimaduras.

Cuidado e prevenção

Fraldas pompom derma protek

Todo o processo de cólica nos bebês é natural, mas obviamente incômoda. Por ser natural, o que se pode fazer é a prevenção e os cuidados essenciais, procurar sempre maneiras de deixar o bebê acolhido durante todo esse processo.

Apesar de ser um dano ao conforto do bebê, essa situação não dura para sempre, passa a ser temporário pois se trata de um processo de adaptação. Como citado acima, tudo é uma questão de amadurecimento do organismo do pequeno. 

Cada fase de crescimento e amadurecimento vai apresentar alguma situação desconfortável pois crescer é desconfortável, mas isso não precisa ser o fim do mundo. Bons cuidados, acompanhamento com profissional qualificado, muita atenção e muito amor são essenciais.

Além disso, outra coisa que pode afetar a tranquilidade do bebê é a fralda suja. Para o bebê ter tranquilidade e segurança, escolha as fraldas Pom Pom. Conte com a  linha  Pom Pom Derma Protek para garantir uma pele sequinha, rápida absorção e livre de alergias ou assaduras.

Conhece papais e mamães de primeira viagem e/ou que precisam saber dessas informações? Que tal compartilhar? Em nosso blog temos mais conteúdos sobre o universo dos bebês, basta acessar para conferir. 

Faça seu login
E acesse ferramentas que irão te ajudar nessa fase tão especial.

Ao clicar em Cadastre-se, você concorda com os Termos de Serviço

Já tem uma conta na Pompom? Faça Login
Ainda não tem uma conta? Cadastre-se
Já tem uma conta na Pompom? Faça Login
Esqueceu a senha?
Informe seu endereço de e-mail e nós enviaremos sua nova senha por e-mail.
Um link para redefinir sua senha foi enviado para o seu e-mail
VOLTAR PARA A PÁGINA DE LOGIN

Receba nossas novidades

none
Data de nascimento