Bartira Betini

Bartira Betini é jornalista formada pela Cásper Líbero em 1996 e passagens por veículos como TV Globo, Diario de São Paulo e Grupo Estado. É mãe da Sofia de 6 anos e desde a gravidez trabalha como repórter free lance escrevendo sobre educação, comportamento e variedades, entre outros temas. “Ser mãe é um universo único que me coloca em contato com situações inusitadas. Escrever sobre temas do dia a dia infantil é algo prazeroso porque aprendo com minha pequena e posso colocar em prática, ajudando outras pessoas”.

Dia das Crianças: data especial para debater o universo infantil

Muito além de presente, o Dia das Crianças é uma data propícia para valorizar a infância. A arte de brincar, fazer amigos, o dia a dia com a família e a escola. Cada vez mais, especialistas na área de educação ressaltam a importância de não pular etapas e amadurecer tão rápido.

“Por isso, antes de qualquer coisa, devemos nos lembrar que o Dia é da Criança e a infância conjugam perfeitamente com o verbo brincar, atividade indispensável para o desenvolvimento emocional e cognitivo do ser humano. Além disso, a criança usa o brinquedo para a sua socialização e amadurecimento”, explica a psicopedagoga Irene Maluf.

Brinquedos são fáceis de escolher e, desde que respeitados os interesses das diferentes faixas etárias, dificilmente serão presentes pouco apreciados e que não cumprirão a tarefa de ensinar, divertir e enriquecer a vida lúdica das meninas e meninos. Mas é importante ficar o alerta de que presentes caros nem sempre são necessários.

Por exemplo, a criança em fase pré-escolar adora os jogos de faz-de-conta: sua criatividade e imaginação não têm limites e mais do que nunca apreciam brinquedos e brincadeiras que reproduzem o mundo adulto. “Em geral gostam de ir ao cinema e ao teatro, que não deixam de ser um belo presente!”, completa Irene.

O principal é não esquecer que as crianças para serem felizes não precisam de muito. “Já vi muitas crianças ganharem brinquedos super elaborados e brincarem com a embalagem ou caixa. Já presenciei também crianças ganhando super presentes e algo mais simples e a criança gostar mais do simples”, explica Eliza Botelho P. de Castro, diretora pedagógica , da DreamKids Berçário e Educação Infantil, de São Paulo.

“Devemos e temos a obrigação de evitar o consumo. pois as crianças são consumistas se os adultos não derem limites. A televisão e amigos podem incentivar mas cabem aos pais ensinar. Brincadeiras com sucata, brincadeiras de rua, teatros de fantoche e livros agradam todas as idades”, sugere Eliza.

A escola também pode trabalhar a data. Por exemplo, na semana que se comemora, os alunos da DreamKids participam de uma ação social bem bacana, que envolve várias classes e professores. Os pais são comunicados e apoiam a atividade extra, fora da sala de aula.

“Despertamos em nossos alunos a preocupação com os demais, valorizamos o exemplo do desprendimento, da colaboração e do amor ao próximo. Acreditamos que aprendendo estes valores desde cedo desenvolveremos adultos conscientes, responsáveis. Por isso, fazemos uma arrecadação de brinquedos na escola e levamos os alunos a um orfanato para entregar esses brinquedos. E acabamos passando uma tarde onde as crianças brincam juntas e tem uma experiência diferente”, conta Eliza.

vitor.romera@myagencia.com.br'

Bartira Betini

Bartira Betini é jornalista formada pela Cásper Líbero em 1996 e passagens por veículos como TV Globo, Diario de São Paulo e Grupo Estado. É mãe da Sofia de 6 anos e desde a gravidez trabalha como repórter free lance escrevendo sobre educação, comportamento e variedades, entre outros temas. “Ser mãe é um universo único que me coloca em contato com situações inusitadas. Escrever sobre temas do dia a dia infantil é algo prazeroso porque aprendo com minha pequena e posso colocar em prática, ajudando outras pessoas”.