hypermarcas

A relação entre crianças e animais de estimação

Promover a interação entre o animal de estimação da família e o bebê pode ser muito positivo, desde que os cuidados em relação à segurança e à higiene sejam observados. Quem diz é Silvia Petrilli, supervisora de psicoterapia de crianças no DPSedes (Departamento de Psicodrama do Instituto Sedes Sapientiae).

“A relação com animais domésticos favorece a aprendizagem de convivência, que pode ter efeitos terapêuticos, como minimizar o sentimento de solidão, estimular brincadeiras, aumentar a percepção de potência pessoal em responsabilizar-se por si e por outros, despertar sentimentos de generosidade, afeto, gentileza e cuidados com a comunidade e o desenvolvimento da capacidade de cooperação”, afirma.

Todos esses benefícios contribuem para o desenvolvimento das crianças e também dos adultos. Por outro lado, os animais podem fugir, ser vítimas de acidentes ou envelhecer e morrer, como qualquer ser vivo. Ter um animal de estimação também é aprender a lidar com a perda, a tristeza e a saudade, segundo Silvia.

A psicóloga diz que o contato entre as crianças e os animais deve sempre ser monitorado por um adulto. Além disso, é importante consultar o pediatra e o veterinário para saber sobre os riscos à saúde causados pelo contato com fezes, urina, pelos e ração do animal.

“Alguns exemplos de cuidados que devem ser mantidos são lavar as mãos com água e sabão após brincar com o animal, não puxar orelhas e pelos, não deixar o animal lamber e manter alguma distância do rosto, não ficar muito próximo enquanto o animal se alimenta, não deixá-lo dormir na cama dos donos”, recomenda.

Silvia diz que cães e gatos são os campeões como candidatos a animais de estimação, mas outros bichinhos também podem ser benéficos. “No caso de cães, especialistas recomendam as raças mais dóceis e tolerantes para a convivência com crianças, pois eles são mais facilmente treinados e obedientes. Peixes, tartarugas, hamsters, por exemplo, são animais interessantes e podem trazer alegria e aprendizagem. Em locais mais amplos, como sítio ou fazenda, a convivência com cavalos, por exemplo, é saudável e pode trazer muitos benefícios, como o desenvolvimento de relações de confiança ao aproximar-se, cuidar e montar”, declara.

clayton.barbosa@myagencia.com.br'