Bartira Betini

Bartira Betini é jornalista formada pela Cásper Líbero em 1996 e passagens por veículos como TV Globo, Diario de São Paulo e Grupo Estado. É mãe da Sofia de 6 anos e desde a gravidez trabalha como repórter free lance escrevendo sobre educação, comportamento e variedades, entre outros temas. “Ser mãe é um universo único que me coloca em contato com situações inusitadas. Escrever sobre temas do dia a dia infantil é algo prazeroso porque aprendo com minha pequena e posso colocar em prática, ajudando outras pessoas”.

Rotina é essencial para o bebê

A rotina nos cuidados do bebê depende do ritmo dele e de sua mãe. Com o tempo, as coisas vão se ajeitando, permitindo que a mãe cuide de si e de seus afazeres.

O pediatra do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz) Paulo Borchert explica que encontrar essa rotina irá facilitar as coisas. “O estabelecimento de um padrão previsível de atividades e horários ajudará o bebê, com o tempo, entender o que esperar ao longo do dia. Por menor que seja seu filho, pode ter certeza: ele entende a padronização de hábitos”.

As rotinas a serem trabalhadas com as crianças desde o início da vida são os horários de dormir e de acordar, de tomar sol e de tomar banho.

A alimentação só entra na agenda a partir do sétimo mês, quando acaba a fase de aleitamento exclusivo. “É sugerida a livre demanda, ou seja, sempre que houver fome, impossibilitando o estabelecimento de uma rotina de imediato, quando for o leite da mãe. Em caso de mães que não podem amamentar, de três em três horas, em média, é o tempo que o bebê costuma sentir fome”, explica Marianne Paiva Carneiro, pediatra da Vaccini – Clínica de Vacinação e membro da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP).

“Bebês acordam cedo então não adianta colocar o filho no berço à meia-noite, achando que assim ele acordará mais tarde no dia seguinte, porque não vai dar certo. Ele despertará cedinho e terá um dia menos produtivo”, diz Marianne.

A médica sugere que o deitar seja por volta de 20h. No período em que a criança estiver acordada, deve tomar sol por pelo menos meia hora até as 9h no máximo (para evitar a exposição aos raios nocivos do sol) e o banho é sugerido logo depois disso.

Quando começar a alimentação pastosa, as refeições principais devem ser ao acordar (café da manhã), ao meio-dia (almoço) e às 18h (jantar). Os lanches serão às 9h, às 15h e pouco antes de dormir (este último é normalmente uma mamadeira). Os intervalos serão de sonecas e os momentos de brincadeiras dentro de casa, de acordo com a disposição do bebê.

“Essa rotina fará toda a diferença e pode ser mantida durante o primeiro ano de vida do bebê. Ela garante organização para a mamãe e bem estar a criança para um desenvolvimento pleno e feliz”, conclui Marianne.

vitor.romera@myagencia.com.br'

Bartira Betini

Bartira Betini é jornalista formada pela Cásper Líbero em 1996 e passagens por veículos como TV Globo, Diario de São Paulo e Grupo Estado. É mãe da Sofia de 6 anos e desde a gravidez trabalha como repórter free lance escrevendo sobre educação, comportamento e variedades, entre outros temas. “Ser mãe é um universo único que me coloca em contato com situações inusitadas. Escrever sobre temas do dia a dia infantil é algo prazeroso porque aprendo com minha pequena e posso colocar em prática, ajudando outras pessoas”.