Bartira Betini

Bartira Betini é jornalista formada pela Cásper Líbero em 1996 e passagens por veículos como TV Globo, Diario de São Paulo e Grupo Estado. É mãe da Sofia de 6 anos e desde a gravidez trabalha como repórter free lance escrevendo sobre educação, comportamento e variedades, entre outros temas. “Ser mãe é um universo único que me coloca em contato com situações inusitadas. Escrever sobre temas do dia a dia infantil é algo prazeroso porque aprendo com minha pequena e posso colocar em prática, ajudando outras pessoas”.

Dia do Brinquedo na Educação Infantil

O dia do Brinquedo tem uma importância na Educação Infantil: o trazer algo que é individual e poder transformá-lo em coletivo. Quando a criança escolhe um brinquedo para levar à escola num dia determinado, ela pode trazer algo que gosta muito, que quer mostrar aos amigos, à professora e desde sua saída de casa deve ser motivada a dividir, emprestar, mostrar como é, o que faz e como funciona.

“A criança precisa saber também que vai poder brincar e conhecer novos brinquedos. É uma via de duas mãos, uso e deixo usar”, diz Vera Mello, coordenadora pedagógica da DreamKids Berçário e Educação Infantil, no Morumbi, zona sul de São Paulo.

Esse momento pode servir, inclusive, como uma forma da criança se adaptar ao ambiente ou situações, pois muitas possuem brinquedos que funcionam como objetos transacionais, já que a criança tem apego (laço afetivo) e sentem-se seguras. Se ela empresta, usa o do outro, cuida e percebe que irão devolver o que é seu e terá que devolver também o que é do outro, já está assimilando conceitos e comportamentos que irá levar para a vida toda e isso é fundamental.

Vera ressalta que uma coisa também muito importante é que a criança irá perceber que suas atitudes irão ter consequências (trago, empresto, o outro me empresta, não empresto, não pego emprestado, levo bronca, me privo da brincadeira ou usufruo dela) de uma forma bem suave. “Isso começará a ser percebido e incorporado na sua rotina para diferentes momentos”.

“O educador usa esse dia para trabalhar expressão oral, partilha, compartilhar o afeto do que aquele brinquedo significa, responsabilidade, exercita a escolha, importância e muito mais”, diz Vera.

Começar isso com crianças a partir de dois anos, durante toda a educação infantil, é positivo porque nessa fase a criança começa a ter mais consciência do outro em sua vida e por isso é uma ótima hora para partilhar, dividir e estar junto. Boa hora também para a introdução e cumprimento das regras, pois agora a criança já começa a argumentar, questionar, querer entender o que ocorre e já tem mais preparo para a lei de causa/efeito.

Já no Ensino Fundamental, Vera acredita ser bem interessante ser semanal pelo menos nos dois primeiros anos para o cultivo do brincar e do brinquedo, que começa a ser esquecido e é muito importante ainda, mas após isso, fica de acordo com a proposta da escola e o envolvimento dos alunos.

vitor.romera@myagencia.com.br'

Bartira Betini

Bartira Betini é jornalista formada pela Cásper Líbero em 1996 e passagens por veículos como TV Globo, Diario de São Paulo e Grupo Estado. É mãe da Sofia de 6 anos e desde a gravidez trabalha como repórter free lance escrevendo sobre educação, comportamento e variedades, entre outros temas. “Ser mãe é um universo único que me coloca em contato com situações inusitadas. Escrever sobre temas do dia a dia infantil é algo prazeroso porque aprendo com minha pequena e posso colocar em prática, ajudando outras pessoas”.