Carin Primavesi

Carin Primavesi é psicopedagoga e psicanalista e trabalha com crianças de um a cinco anos em educação infantil e de cinco anos a adultos no Kumon. Autora do livro Déficit de Atenção tem Solução, ela aborda os mais diversos assuntos relacionados à psicologia e comportamento.

Quarto Montessoriano: entenda o conceito e saiba como criar um ambiente que estimula os pequenos

Maria Montessori, médica e educadora italiana do início do século passado, valorizou muito a criança.  Foi ela quem inventou  móveis do tamanho das crianças, para que elas pudessem se sentir mais acolhidas, sem precisar sempre olhar para cima.

Princípios que visam a teoria Montessori:
1. Respeitar e incentivar a criança.
2. Dar liberdade de movimento.
3. Incentivar a independência e a tomada de decisão.
4. Proporcionar oportunidades para aprendizado
5. Ativar os sentidos

Para ela o quarto dos pequenos deve ser estruturado de acordo com o olhar da criança e não do adulto, de forma que ela circule livremente no seu ambiente explorando as coisas que estão ao seu alcance, podendo se expressar e aprender por meio da liberdade e com segurança. Assim a criança se desenvolve melhor no aspecto emocional, físico e mental.

Tópicos a serem levados em consideração ao se montar um quarto montessoriano:

1. Berço limita os movimentos.  Ele é substituído por um colchão no chão ou por uma cama bem baixa, para que ela possa sair e voltar quando quiser. Ao lado do colchão, pode-se colocar um tapete ou almofadas que além de amortecer uma possível queda, proporcionam estímulos sensoriais diferentes.

2. Móveis: mesa, cadeiras, prateleiras e outros próprios para crianças, sempre arredondados. Deve-se ter espaço no quarto para as crianças brincarem e se locomoverem.

3. Os brinquedos devem ficar sempre a mão, arrumados em prateleiras baixas para que a criança os consiga pegar com facilidade. O ideal é que a criança tenha poucos brinquedos à disposição, para que explore melhor cada brinquedo em sua fantasia, e conseguir se concentrar  melhor em cada um. Pode-se fazer um rodízio de brinquedos.  Os adultos devem arrumar o quarto junto com os pequenos, para que aprendam também a guardar no lugar certo cada brinquedo: carrinhos com  carrinhos, cestinha dos blocos lógicos, dos legos, bonecas nos carrinhos, joguinhos de encaixes e assim por diante. Livros e revistas também podem ser deixados ao alcance da criança, para que ela folheie e veja as figuras. Os enfeites do quarto, quadros, desenhos, adesivos de parede igualmente devem ser colocados na altura dos olhos da criança.

3. Estímulos:

A) Visual: espelho, bem fixo na parede, baixo, para que a criança possa se ver e vai entendendo que é uma pessoa separada da mãe. Os bebês  gostam de móbiles em geral e em cores fortes. Desenhos, quadros, livros em geral.

B) Auditivo: músicas ou sons de violão ou flauta são calmantes e apreciadas. Músicas  clássicas  são adoradas pelos pequenos como também as músicas de crianças.

C) Táctil: brinquedos lisos, rugosos,  macios, firmes estimulam o tato.

Em um quarto como a Dra. Maria Montessori sugeriu, o desenvolvimento mental, a segurança emocional assim como a iniciativa da criança são bem mais elaboradas e estruturadas. Com uma infância feliz e dona de seu pedaço a criança tem muito mais capacidades de auto suficiência  em lidar com sua vida futura.

erikson.bezerra@myagencia.com.br'

Carin Primavesi

Carin Primavesi é psicopedagoga e psicanalista e trabalha com crianças de um a cinco anos em educação infantil e de cinco anos a adultos no Kumon. Autora do livro Déficit de Atenção tem Solução, ela aborda os mais diversos assuntos relacionados à psicologia e comportamento.