Bartira Betini

Bartira Betini é jornalista formada pela Cásper Líbero em 1996 e passagens por veículos como TV Globo, Diario de São Paulo e Grupo Estado. É mãe da Sofia de 6 anos e desde a gravidez trabalha como repórter free lance escrevendo sobre educação, comportamento e variedades, entre outros temas. “Ser mãe é um universo único que me coloca em contato com situações inusitadas. Escrever sobre temas do dia a dia infantil é algo prazeroso porque aprendo com minha pequena e posso colocar em prática, ajudando outras pessoas”.

Quando nascem os dentes de leite?


A criança está agitada, com falta de apetite e aparentemente chorando sem motivo. Ela tem cinco meses ou mais? E a fase das cólicas, já passou? Então pode ser sim o nascimento dos dentes de leite. “Os pediatras nem sempre relacionam uma coisa com a outra, mas no consultório é comum observar que em alguns casos o nascimento dos dentes pode causar diarreia amarelada e febre. Alguns bebês podem ficar com a gengiva roxa e inchada”, explica a dentista infantil Carmem Silva, da Clínica Amai.

O dente do bebê começa a nascer por volta dos cinco, seis meses de vida, mas isso não é regra. Algumas crianças têm o primeiro dentinho de leite com oito ou nove meses e a dentição completa pode se formar até os dois anos.

“Cada criança tem a erupção dentária de acordo com o seu organismo. Pode acontecer antes ou depois. A erupção dos dentes dói porque rasga-se a gengiva para poder sair. Alguns pequenos demonstram maior dor que outros, por isso, quando o bebê começa a chorar e a mãe não consegue saber porquê, em 80% dos casos é mesmo o nascimento dos dentes de leite”, explica a odontopediatra Ana Clara Fort.

Além dos géis anestésicos, os mordedores são ótimos nesta fase porque massageiam a gengiva e aliviam o incômodo. É importante que eles estejam sempre limpos e que tenham sido esterilizados na água quente depois de fervida, por exemplo. “Há vários tipos de mordedores. Os que têm gel e podem ir à geladeira são bem interessantes, pois a baixa temperatura alivia a dor e a coceira temporariamente”, explica Ana. “Vale ressaltar que esses tipos de mordedores não devem ser usados por bebês que já têm dentes, pois podem estourar e o conteúdo de seu interior vazar”, complementa.

Na maioria da vezes, os pais entram em pânico ao ver a criança chorar. Contudo, é aconselhável manter a calma, pois a criança sente o ambiente conturbado e pode ficar ainda mais agitada. Ana Clara dá uma dica: “Massagear a gengiva do bebê pode ajudar. Antes, lave bem as mãos”.

Cuidados essenciais com os dentes de leite:
– Use gaze ou fralda embebida em água filtrada pelo menos três vezes ao dia nos dentinhos, na gengiva, nas bochechas e na língua;
– Perto dos seis meses, procure um dentista especializado em crianças e bebês (odontopediatra) para uma primeira consulta;
– Converse com o pediatra sobre alimentação e procure estabelecer hábitos saudáveis, evitando doces e refrigerantes;
– O uso de pasta dental com flúor é recomendável acima de cinco anos. Fique atento à embalagem.

vitor.romera@myagencia.com.br'

Bartira Betini

Bartira Betini é jornalista formada pela Cásper Líbero em 1996 e passagens por veículos como TV Globo, Diario de São Paulo e Grupo Estado. É mãe da Sofia de 6 anos e desde a gravidez trabalha como repórter free lance escrevendo sobre educação, comportamento e variedades, entre outros temas. “Ser mãe é um universo único que me coloca em contato com situações inusitadas. Escrever sobre temas do dia a dia infantil é algo prazeroso porque aprendo com minha pequena e posso colocar em prática, ajudando outras pessoas”.