Bartira Betini

Bartira Betini é jornalista formada pela Cásper Líbero em 1996 e passagens por veículos como TV Globo, Diario de São Paulo e Grupo Estado. É mãe da Sofia de 6 anos e desde a gravidez trabalha como repórter free lance escrevendo sobre educação, comportamento e variedades, entre outros temas. “Ser mãe é um universo único que me coloca em contato com situações inusitadas. Escrever sobre temas do dia a dia infantil é algo prazeroso porque aprendo com minha pequena e posso colocar em prática, ajudando outras pessoas”.

Ciúme entre irmãos tem solução

Ciúme entre irmãos tem solução

É importante para o amadurecimento aprender a dividir e lidar com como frustrações. O ciúme entre irmãos, normalmente, está ligado muito a insegurança e acontece, principalmente, entre crianças de três e seis anos.

“É natural que o filho mais velho apresente demonstrações de ciúme, ressentimento, raiva e sentir-se ameaçado e até ter comportamentos de regressão como fazer xixi na cama para chamar atenção dos pais”, explica a psicóloga Francys De Thommazo.

Às vezes é difícil para os pais identificarem a maneira que cada criança expressa este sentimento, e sem perceber acabam reforçando ainda mais este ciúme.

Os pais podem ajudar muito na preparação da experiência de ter um novo irmão ao falar dos aspectos positivos, compartilhar como dificuldades, dizer que um bebe consome muito tempo, devido a não conseguir fazer nada sozinho.

Conversar muito com o filho e verificar os seus pensamentos, suas expectativas relacionadas ao novo irmão, porque uma criança tem fantasias, pode tornar o momento mais leve e sem traumas

Francys dá algumas dicas para lidar com o ciúme entre irmãos:

– Maneirar nos castigos – para fazer coisas erradas pode ser uma forma de chamar a atenção, e colocar de castigo de imediato pode reforçar o problema. O Ideal é conversar e explicar o porquê das coisas.

– Reservar um momento com um mais velho o que é um pai para uma atividade mãe para alguma atividade, seja uma sala de estar, uma experiência incrível, para sentir-se amada e ver que a família também uma atenção.

– Dê responsabilidades para que a criança sinta-se importante, mas sem exagero.

– Converse muito!

– Enxergar tudo como algo natural – referente a todos os outros e amigos.

 

vitor.romera@myagencia.com.br'

Bartira Betini

Bartira Betini é jornalista formada pela Cásper Líbero em 1996 e passagens por veículos como TV Globo, Diario de São Paulo e Grupo Estado. É mãe da Sofia de 6 anos e desde a gravidez trabalha como repórter free lance escrevendo sobre educação, comportamento e variedades, entre outros temas. “Ser mãe é um universo único que me coloca em contato com situações inusitadas. Escrever sobre temas do dia a dia infantil é algo prazeroso porque aprendo com minha pequena e posso colocar em prática, ajudando outras pessoas”.