Bartira Betini

Bartira Betini é jornalista formada pela Cásper Líbero em 1996 e passagens por veículos como TV Globo, Diario de São Paulo e Grupo Estado. É mãe da Sofia de 6 anos e desde a gravidez trabalha como repórter free lance escrevendo sobre educação, comportamento e variedades, entre outros temas. “Ser mãe é um universo único que me coloca em contato com situações inusitadas. Escrever sobre temas do dia a dia infantil é algo prazeroso porque aprendo com minha pequena e posso colocar em prática, ajudando outras pessoas”.

A roupa certa para o seu bebê

O bebê nasceu. Agora é hora de vesti-lo. Roupa de calor? Ou de frio? Como acertar na escolha? A tendência é encapotar o recém nascido, seja verão ou inverno, primavera ou outono. É isso mesmo? É necessário bastante agasalho assim que a criança nasce?

Marta Mataloun, neonatologista do Hospital Samaritano de São Paulo, explica que ao nascer, normalmente, o bebê é colocado em berço aquecido por algumas horas, para ajudá-lo a manter a temperatura. O recém-nascido tem uma área de superfície corpórea relativamente maior que a do adulto, o que causa perda de calor.

Na hora de vestir, para Marta, devemos variar a quantidade de agasalho de acordo com a temperatura do ambiente. Normalmente, quando estamos no verão e os pais ligam o ar condicionado, orientamos manter a temperatura do quarto em torno de 25°C (22°C a 26°C).

“E não precisa encapotar o recém-nascido! Orientamos colocar uma camada de roupa a mais do que o adulto. Por exemplo, se a mãe está com uma camisola de manga curta, orientamos colocar no bebê um body ou camisa de algodão de manga comprida e um mijão”, explica Marta.

As mãos e os pés costumam ficar um pouco mais frios do que o corpo e não devemos avaliar a temperatura a partir das extremidades. Devido a estas características, orientamos sempre colocar uma luva e uma meia nos bebês. Quando houver dúvida se o recém-nascido está muito quente ou com frio, o melhor é medir a temperatura com um termômetro.

Enxoval

Faz parte do enxoval do bebê: bodies, camisetas de manga curta e manga comprida; macacões, culotes ou “mijões”. Todas as roupas devem ser lavadas antes do uso, com sabão neutro e separadamente das roupas da casa. Também é desejável que retiremos as etiquetas das roupas antes de colocar no bebê.

O tecido deve ser macio, e de preferência de fibra natural, como o algodão. Laços, golas e fitas devem ser sempre evitados, pois podem machucar ou irritar a pele do bebê, além enroscar nos dedinhos e nas mãos.

As roupas devem ser folgadas e confortáveis, com poucos botões, fáceis de tirar e colocar. Os sapatos para bebes não são recomendados.

Priscila Goldenberg, consultora de enxovais nos EUA e Paris, diz que o ideal é lavar as roupinhas com um mês de antecedência da data agendada ou prevista para o nascimento. Não precisa lavar tudo de uma vez porque as roupinhas serão usadas pouco a pouco.

“Por exemplo, se a mãe fez enxoval no exterior e já adquiriu roupinhas até um ano pode lavar os três primeiros meses e assim que o bebe estiver próximo de completar três meses, lave roupinhas de seis a nove meses, e assim por diante. Para as mamães que não fizeram enxoval no exterior, o ideal é ir comprando conforme a necessidade e crescimento do bebe e ir lavando de acordo com cada compra”.

vitor.romera@myagencia.com.br'

Bartira Betini

Bartira Betini é jornalista formada pela Cásper Líbero em 1996 e passagens por veículos como TV Globo, Diario de São Paulo e Grupo Estado. É mãe da Sofia de 6 anos e desde a gravidez trabalha como repórter free lance escrevendo sobre educação, comportamento e variedades, entre outros temas. “Ser mãe é um universo único que me coloca em contato com situações inusitadas. Escrever sobre temas do dia a dia infantil é algo prazeroso porque aprendo com minha pequena e posso colocar em prática, ajudando outras pessoas”.