Karina Lacerda

Karina Lacerda tem 35 anos e é jornalista. Conheceu o incrível Fabio Calamari ainda na faculdade, e não desgrudou mais: já são 12 anos juntos. Passam o dia em São Paulo, mas moram no ABC desde sempre. Os dois já fizeram muitas coisas bacanas: ele é jornalista esportivo premiado, amante de cinema e ela trabalha com hardnews, adora cultura pop e unicórnios. Agora começam o melhor trabalho do mundo: serem os pais de uma linda menina, Cecília.

Expectativas

Ano passado foi um daqueles anos que viram a cabeça da gente de ponta cabeça. Logo no comecinho eu e meu marido decidimos tentar ter um filho e bam! Mal parei a pílula e já engravidei. Li que um casal normal leva entre quatro meses e um ano tentando, por isso a notícia nos pegou de surpresa.

A felicidade foi tamanha que, de tão empolgados, comunicamos a notícia para toda a família, amigos, colegas de trabalho, para quem estava na fila do leite… Só que a gestação não foi adiante. Logo no primeiro ultrassom o coraçãozinho do bebê batia só metade do que deveria.  Mesmo com todas as precauções e cuidados possíveis, perdemos o bebê na sexta semana.

Cada um lida com perdas de um jeito. Eu fiquei semanas e semanas sem vontade de falar com ninguém. Recebi muito carinho de pessoas próximas e outras nem tanto. Não tinha passado por uma situação parecida, nem mesmo com conhecidos. Soube de histórias de mulheres incríveis que passaram por isso duas, três vezes antes de concluírem a gestação. Mesmo sabendo que a culpa não é nossa, é muito difícil ficar livre da responsabilidade.  Por mais que meu cérebro soubesse que 80% dos abortos espontâneos nas 12 primeiras semanas acontecem por causas naturais, meu coração não parava de perguntar “por que com a gente?”. Decidi focar em outras coisas, cair de cabeça no trabalho e aproveitar as férias para me divertir sem pressão.

Em setembro realizamos um sonho antigo e fomos curtir nosso aniversário de casamento na Inglaterra. Eu estava um pouco atrasada, mas acreditei que meu organismo estava confuso depois de tantas horas de voo.  Convenci a mim mesma que estava fazendo o teste única e exclusivamente por desencargo de consciência, já que no outro dia planejávamos passar o dia pedalando por Londres. Quando o teste deu positivo, a alegria foi quase tão grande quanto o medo de passar novamente por todo aquele tormento do começo do ano.

Na volta para casa, corri para minha médica e fiz todos os exames, mas continuamos mantendo o segredo.  Foram semanas de expectativa, medo e muita oração. Só quando passou a fase mais crítica, depois das 12 semanas, contamos para familiares e uns poucos amigos próximos. Ouvir o coração batendo forte e todos os membros se mexendo perfeitamente no ultrassom morfológico foi um misto de alegria e alívio que eu nem consigo explicar. Chorei um balde inteiro de tanta felicidade.

Em meados de abril esse pedacinho de gente chega para trazer ainda mais felicidade para nossa família, e eu mal posso esperar para ver seu rostinho. Como a gente consegue amar tanto uma coisinha tão pequena?

hypermarcaspompom@gmail.com'

Karina Lacerda

Karina Lacerda tem 35 anos e é jornalista. Conheceu o incrível Fabio Calamari ainda na faculdade, e não desgrudou mais: já são 12 anos juntos. Passam o dia em São Paulo, mas moram no ABC desde sempre. Os dois já fizeram muitas coisas bacanas: ele é jornalista esportivo premiado, amante de cinema e ela trabalha com hardnews, adora cultura pop e unicórnios. Agora começam o melhor trabalho do mundo: serem os pais de uma linda menina, Cecília.